Danilo Dirani tem especial simpatia pela pista de Jacarepaguá

“O meu histórico lá é muito bom. Em 2010 fui pole, só que logo depois da largada quebrou o câmbio. No ano passado, largueio um pouco mais atrás e acabei virando líder quando o Roberval (Andrade) parou com problemas. Só que no finalzinho, umas três voltas antes do fim, eu também tive problemas. Quase venci”, lembra.

É no retrospecto competitivo que Dirani fundamenta sua perspectiva de abrir no Rio sua campanha de reabilitação, depois do abandono no Velopark. “Nós tivemos problemas na primeira corrida, mas a equipe identificou esse problema. Os caminhões já foram à pista em Piracicaba, e estão muito fortes”, diz, otimista. “Meu pensamento é pole e vitória, e sei que o caminhão é bom o suficiente para estar sempre entre os quatro ou cinco primeiros”.

Na terceira edição da corrida no Rio de Janeiro, expectativa da organização é de público de 50.000 pessoas

Quando a Fórmula Truck teve a primeira corrida de sua história no Rio de Janeiro, na tarde de 18 de abril de 2010, o Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacareáguá, era o único dos já existentes no Brasil que não havia recebido nenhuma etapa da categoria. O sucesso foi suficiente para efetivar a cidade no calendário, sempre como segunda etapa do calendário, condição até então preenchida pela pista de Fortaleza, no Ceará.

A F-Truck retorna ao Rio na próxima semana para o GP Bridgestone-Bandag, segunda etapa do Campeonato Brasileiro. A presidente da categoria, Neusa Navarro, manifesta a perspectiva de que o público nas arquibancadas, nos hospitality centers e demais áreas vip seja de aproximadamente 50.000 pessoas. O público verificado nas duas primeiras edições é um dos fatores que atestam a efetivação da cidade no itinerário das corridas.

Na corrida de 2010, nada menos que 53.924 pessoas estiveram no autódromo, num domingo ensolarado, convidativo à praia, e ainda marcado pela realização do clássico de futebol Flamengo x Botafogo no Maracanã. Por ironia, o vencedor da corrida foi Roberval Andrade, com o caminhão Scania do Corinthians. No ano passado, diante de 46.892 espectadores, o vencedor da etapa carioca foi Geraldo Piquet, com Mercedes-Benz.

A Fórmula Truck empreendeu uma série de ações de divulgação nas semanas antecedentes ao evento. “Fizemos campanhas em jornais, televisão, rádios, também tivemos aviões fazendo publicidade na praia. Atrativos não vão faltar no autódromo. Além das atrações que fazem parte do evento, temos uma das novidades do ano, que é o show de motos do Jorge Negretti”, ela comenta, apostando na repetição do sucesso de 2010 e 2011.

As atividades em pista do GP Bridgestone-Bandag, no Rio de Janeiro, terão início na sexta-feira (30), dia dos primeiros treinos livres. O sábado (31) terá mais sessões treinos livres e ainda as tomadas de tempo classificatórias, que vão definir as posições de largada para a corrida do domingo (1º). O líder do campeonato é o pernambucano Beto Monteiro, da Scuderia Iveco, vencedor da corrida disputada em 4 de março na pista gaúcha do Velopark.

——————————————————
Textos: Grelak Comunicação
Imagem: Orlei Silva