Djalma Fogaça será o titular do único Ford Cargo confirmado pela 72 Sports para temporada de 2013 da Fórmula Truck

Quando voltou às pistas da Fórmula Truck para disputar as três últimas etapas de 2012, Djalma Fogaça tinha um propósito declarado: a reintegração à categoria. Disposto a celebrar seus 50 anos cumprindo a temporada completa em 2013, o sorocabano tem participação confirmada nas 10 corridas que vão compor os campeonatos Brasileiro e Sul-Americano – a primeira está marcada para 10 de março, no circuito gaúcho de Tarumã.

A experiência que acumulou na categoria como piloto entre 1997 e 2009, somada à de 16 anos como chefe de equipe na categoria, é o trunfo com que Fogaça, como piloto, espera contar para devolver sua equipe, a 72 Sports/Ford Racing Trucks, ao primeiro pelotão da categoria. Seu Ford Cargo será o único da equipe, que terminou o campeonato de 2012 com três caminhões no grid – Danilo Dirani e Pedro Gomes eram os outros pilotos da equipe.

“Em princípio, vamos com apenas um caminhão. Reconheço que esse é um passo para trás, mas foi uma decisão que tomei, de dar um passo atrás de olho em um ano de transição”, ponderou o piloto, conhecido no automobilismo pelo apelido “Caipira Voador”. “Decidi, em conjunto com a Ford, que teremos só um caminhão. E por que eu quero correr? Eu tenho de fazer minha equipe ser confiável de novo. As pessoas não confiam mais na minha equipe”.

O maior desafio de Fogaça será técnico. “Caminhões pequenos, como o meu, têm pouca chance diante dos que têm motores de 12 litros. Então vamos trabalhar para o caminhão chegar ao fim das provas, voltar a ser confiável. Em 2014 nós também vamos ter o motor grande, aí vamos poder competir de igual para igual”, revela. Ele não descarta a inscrição de um segundo caminhão já em 2013: “Pode ser, sim, mas não há nada definido por enquanto”.

“ANO TERRÍVEL”
À luz dos resultados, Fogaça admite que “o ano passado foi terrível”. “É inadmissível uma equipe com dois caminhões, depois três, estar lá e marcar só 23 pontos em 10 corridas. E com caras que aceleram”, avaliou. Dirani foi 21º no Brasileiro, com 13 pontos. Gomes, com sete, foi 23º. Fogaça, 12º na última corrida, marcou três pontos e foi 25º. “Você vai mal quando faz dois, três, quatro pódios. O que vivemos em 2012 foi algo irreal para nós”, definiu.

Os resultados aquém do esperado levaram a mudanças. “Vimos que as coisas estavam um tanto bagunçadas. Troquei todo o corpo técnico da equipe e estou indo para uma nova etapa, começando de novo. É uma outra forma de trabalho, que necessita que eu ande no caminhão. Não devo ser mais rápido que o Danilo e o Pedro, mas minha experiência vai contar para a equipe voltar a ser confiável”, declarou o piloto da 72 Sports/Ford Racing Trucks.

Com orçamento já viabilizado para a temporada, Djalma Fogaça diz-se “em paz com a decisão”. “No automobilismo tudo gira em torno do resultado do último ano, da última corrida. O que a gente fez em 2012, hoje, não vale nada. Sinto por não poder ajudar os caras que estiveram comigo, o Pedro, o Danilo, o Serginho Ramalho, que testou com a gente o ano todo, mas foi uma decisão que tomei e estou animadíssimo, como não ficava há muito tempo”, falou.

CALENDÁRIO
As dez corridas que vão compor a temporada de 2013 do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck serão as seguintes: 10 de março – Tarumã (RS); 7 de abril – Londrina (PR); 19 de maio – Caruaru (PE); 9 de junho – Goiânia (GO); 7 de julho – Interlagos (SP); 4 de agosto – Cascavel (PR); 8 de setembro – Córdoba (ARG); 13 de outubro – Guaporé (RS); 10 de novembro – Curitiba (PR); 8 de dezembro – Brasília (DF).